sexta-feira, 5 de agosto de 2011

GT2, 3ª etapa do Paranaense!

A 3ª etapa do campeonato deveria ter sido realizada em 26 de junho, juntamente com a etapa do Campeonato de EP, mas a chuva não deu tréguas e foi transferida para o dia 24 de julho, quando finalmente fomos para a pista disputar mais esta etapa.

Sábado a pista estava cheia para os acertos de carros e treinos e o sol predominou, mas a previsão do tempo para o domingo era de chuva novamente.

Os pilotos novatos não escondiam a ansiedade com a estréia no domingo.

Domingo, dia da prova, céu nublado, bem característico de Curitiba, pista fria, todos reunidos nas excelentes acomodações da sede/pista da CAAR, e por volta das 09h10min horas, os carros começaram o aquecimento e os
treinos... o pessoal chegou forte !!!!

Os pilotos iam chegando de lá e de cá e no total largaram 11 GTs!

Um excelente grid, os novatos preocupados em ficarem de fora se houvessem semifinais!

Mas para alegria de todos não tivemos semifinais e todos participaram dos dois hits de 18 minutos.

Com os ânimos cada vez mais a flor da pele, a coisa foi acontecendo naturalmente, no hit de classificação, foi a primeira hora em que todos aceleraram juntos e os motores literalmente ensurdeceram a todos, deixando o clima ainda mais quente!

Era certo que não teríamos chuva durante as atividades e foi dada a largada!

Alexandre Hirata dominou o treino de classificação e cravou volta mais rápida e melhor aproveitamento, ficando na pole!

O estreante Francis Soppa fica com o segundo tempo e Gustavo Lagos com o terceiro.

Gustavo Lagos, o Guga, descreveu assim os dois hits:

“Na primeira final Xandy
dominava a corrida e seguíamos na recuperação, e foram acontecendo os probleminhas mecânicos no pessoal, problemas de motor, eletrônicos, regulagens perdidas, freios sem ação, e por ai foi.

Xandy perdeu sua esmagadora vantagem quando entrou para regulagens no motor, mesmo assim voltou na primeira posição e venceu a primeira final.

Chegamos mais atrás, mas chegamos em segundo... o pessoal todo veio forte até o final da corrida.

A prova foi muito movimentada e muito disputada, com transito pesado de carros na pista onde era bem visível a perícia apurada de todos os pilotos, que tinham que acelerar e desviar de carros mais lentos ou acidentes de corrida, por
muitas vezes, tinham cinco até seis carros virando juntos nos
cotovelos!

Eu lembro bem desses momentos em que tínhamos que estudar por onde passar com quatro ou cinco carros virando juntos, pilotos bem cuidadosos, que evitavam os toque e acidentes! Foi um show mesmo!”.

O segundo hit, de acordo com o Guga, foi assim: “na segunda final, dada a largada, alguns pilotos do fundo queimam juntos e várias punições aconteceram (a diretoria de prova fez um excelente trabalho na organização e controle de acidentes, vindo a antecipar qualquer possibilidade de batida e punindo os causadores de toques que prejudicassem alguém, foi um excelente trabalho). Logo na largada, saímos na perseguição ao Xandy, e de perto ficamos apertando o japa pra ver se ele errava... Marcos Silva vinha forte na minha perseguição... e dá-lhe volta, cada um a uns 2 metros de distância um do outro! Dei uma piscada de olho meio demorada e Marcos me ultrapassa e vai como um louco atrás do Xandy! Fiquei 20 metros longe deles ... na pressão Marcos assume a ponta e Xandy passa pra segundo e começou a perder rendimento em seu carro... logo eu estava na cola dele e passamos o Xandy na entrada da reta, assim que ele entrou nos pits. Mal sabia o ele que seu carro não voltaria mais para a corrida. Conseguimos nos aproximar do Marcos, que sentindo suas primeiras voltas de carro novo, ainda lutava com o acerto, após uma vaciladinha do garoto, conseguimos assumir a liderança e fomos até o final da corrida, sendo perseguido de perto. Com um bom trabalho de pit, ficamos tranquilos e aceleramos forte até o fim da prova!”.

Os estreantes foram muito bem disputando as provas e prometem já pressionar na próxima etapa. O Francis Soppa terminou o segundo hit em segundo lugar, o Baroni foi bem nos dois hits inclusive terminando o primeiro sem freios, literalmente. O Marcelo não foi bem com seu carro e o Rodrigo estava um pouco afoito e acabou sendo desclassificado – coisas de corrida.
Na soma dos pontos a classificação da etapa ficou assim: em 1º lugar – Gustavo Lagos, em 2º lugar – Bráulio C. Junior e em 3º lugar – Alexandre Hirata.

Nos vemos na próxima etapa, dia 14/08. Até lá!

Fonte: Gustavo Lagos e Luiz Gustavo

2 comentários:

Nico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nico disse...

Em nome da direção de prova agradeço pelas considerações Guga. Não é fácil quando temos 11 carros grandes na pista e alguns novatos. É lamentável acompanhar a evolução de alguns pilotos durante o dia de prova, o empenho em acertar os carros e mantê-los na pista durante todas as baterias e ter que que ser imparcial, seguindo a risca o regulamento em relação a alguns deslizes que nós acabamos nos deparando durante a prova. Contudo, acredito que assim estamos no caminho certo para elevar o nível do hobby, beneficiando principalmente os pilotos cuidadosos e atenciosos. Afinal, são esses que fazem o espetáculo ser mais bonito e disputado.

Mais uma vez, parabéns a todos (organização, público e pilotos) pela etapa e se Deus quiser, até a próxima este mês (no dia dos pais).

Fraterno abraço
Nico